30 de janeiro: Dia da Não Violência

Mamães, vocês sabiam que dia 30 de janeiro é o Dia da Não Violência? Achei uma ótima oportunidade para conversarmos sobre a violência nos filmes e desenhos que nossos filhos assistem, bem como nos games que jogam.

Pensei nisso quando li

Isso porque, embora exista a classificação indicativa dos filmes, se a criança está acompanhada de um adulto responsável, o cinema não pode impedir a sua entrada. Vocês sabiam disso? Acho que aumenta ainda mais nossa responsabilidade enquanto mães! Isso é superimportante, porque crianças de diferentes idades absorvem o que assistem de maneiras diferentes.

Por exemplo, uma criança de 2 ou 3 anos ainda não tem desenvolvimento cognitivo para entender cenas de violência. Outra dica que li aqui é que, até os 7 anos, as crianças ainda não diferenciam bem realidade de fantasia; então, se existe alguma cena violenta naquele desenho ou game, mesmo que estilizada, é bom conversar com os pequenos ou até sugerir outra atividade.

Uma das coisas que me chamou mais a atenção no relato da Thais é o fato de que, além de ser uma criança muito pequena, aquele filme foi feito pensando em adultos, e não em crianças, independentemente da idade. Isso, com certeza, não é a mesma coisa que assistir a um desenho animado de antigamente, como aconteceu com a nossa geração, concordam?

E quanto aos games? Li que, para as crianças mais velhas, os games funcionam como uma válvula de escape e, se bem mediados e dosados, podem até ajudá-las a trabalharem suas próprias agressividades. Independentemente de faixa etária, para mim, como mãe, educadora e até cidadã, o problema não é ter socos e tiros no game, mas o que realmente me incomoda é que tais ações rendam mais pontos e sucesso para o jogador – assim como vemos em alguns filmes, em que comportamentos violentos e inadequados são compensados.

Enfim, esse tema é longo, complicado... estou muito interessada na experiência e na opinião de vocês! Como vocês lidam com a violência nos games, filmes e desenhos?