Skip to content

A chegada de um irmãozinho

Se você já é mãe e está grávida, prepare-se para lidar com um sentimento que vai aflorar no seu filho mais velho: o ciúme. Mas para que ele encare esse momento da forma mais natural possível, é muito importante inclui-lo na organização e nos preparativos para a chegada. Aqui, contamos um pouquinho do que pode ajudar bastante a tirar essa tarefa de letra! É importante que os pais não neguem esse momento. A criança vai ter que encarar a situação de dividir o espaço, a atenção e carinho dos pais.

Não podemos esquece que dividir faz parte da vida, não é mesmo? E ter a oportunidade de aprender isso desde cedo com a chegada de um irmãozinho em casa é mais do que saudável. Essa é uma nova fase que deve ser encarada com paciência e amor. Por que paciência? A criança vai demonstrar por meio das atitudes toda a sua raiva pela situação e todas as mudanças que vão acontecer – e não necessariamente pelo irmão em si. Por isso, é tão importante mostrar que a situação se transforma, mas o amor continua. Para a criança, a garantia desse amor é essencial. Uma forma de dizer isso é explicar de forma lúdica que o amor dos pais não vai se dividir, mas que o coração deles fica “maior” para caber todos os filhos.

Antes do bebê chegar - Deixe o filho mais velho participar da escolha de algumas peças de roupa, decoração e brinquedos do irmãozinho(a). - Quando organizar o quarto do bebê, chame seu filho para ajudar e dar a opinião dele. - Não crie muita expectativa antes do bebê chegar porque, para a criança pequena, a ideia de ter um irmãozinho ainda é imaginária. Isso também pode gerar ansiedade na criança, que não consegue dimensionar o tempo e, geralmente, a espera é bem maior do que ela entende. - Outra dica legal, é não deixar de dar colo para o filho mais velho. No final da gravidez, por exemplo, quando não puder mais carregar o filho, sente-se e coloque ele no colo.

Depois do nascimento - É nessa hora que a criança mais velha entende que o mundo dela se transformou de verdade, por isso, é preciso lembrar mais uma vez: paciência, paciência, paciência. E, claro, muito amor também. - Se tiver alguma dúvida de como agir com seu filho num momento de birra, por exemplo, é só pensar no equilíbrio: não valorizar demais e agir com firmeza mostrando que se comportando de tal forma, ele não vai conseguir nada, nem a atenção dos pais. No site Guia-Me, o texto parte de outro lado: tem uma listinha de 11 erros mais comuns que os pais cometem ao comunicar ao filho mais velho que um irmãozinho está chegando

- Faça com que ele se sinta importante. Você pode elegê-lo como seu “assistente” e pedir que ele realize algumas tarefas simples para ajudá-la, como buscar uma roupinha, pegar a chupeta, Só não incentive pedidos mais complexos que podem ser arriscados quando não tiver um adulto por perto. Compartilhar ideias e experiências com outros pais é muito enriquecedor. A gaúcha Geovana Centena, do blog Meus filhos...Minha Vida! escreveu um post sobre o assunto há um tempinho, quando já tinha o Caio Henrique e estava grávida da filha Mariana em 2008. Como é um tema que não tem época, vale a pena ler porque tem vários depoimentos de outras mães. Vamos aproveitar este espaço para trocar informações! O que já deu certo ou errado com os filhos de vocês?


Dicas de limpeza para todas as necessidades da casa. Se você está combatendo as manchas, clique aqui e descubra como limpar quase tudo!