Dicas para pais

Prepare o seu bebê para a hora de dormir

O sono do bebê não é, necessariamente, sinônimo de caos.

Atualizado

Uma das frases mais comuns que os futuros pais e mães costumam ouvir quando anunciam a gravidez é a clássica “prepare-se para não dormir mais”. Mas o sono do bebê não é, necessariamente, sinônimo de caos. A roupa escolhida, a preparação do berço, o cheiro do banho, tudo isso ajuda a criar um ambiente perfeito para a noite de descanso. A seguir, confira tudo o que deve ser observado – e organizado – antes do beijo de boa-noite. 

Estabeleça uma rotina

“Atividades e horários pré-determinados ajudam a criança não só a prever, mas também a entender o que está por vir. Com isso, elas se sentem mais seguras”, explica Andressa Isola, baby planner da consultoria Arrive.

“Os pais devem organizar a rotina da criança levando em consideração os horários de alimentação, do sono e da higiene. Eles também devem prever o período do brincar e de outras atividades para o desenvolvimento”, esclarece José Gabel, membro do Departamento de Pediatria Ambulatorial e Primeiros Cuidados da Sociedade de Pediatria de São Paulo.

Passeios ao ar livre são muito importantes, para que o bebê veja a luz do sol e comece a desenvolver a percepção do dia e da noite, assim como as sonecas ao longo do dia. Por isso, esteja sempre atento aos primeiros sinais de sono, como quando o pequeno começa a bocejar ou coçar os olhos diversas vezes.

“Aquela conversa de evitar os cochilos diurnos para que a criança fique muito cansada não funciona e, no fim, pode ter efeito contrário”, alerta Andressa. “Os cochilos são muito importantes para o desenvolvimento infantil. A ausência desse sono pode causar situações de ansiedade, irritação e até menor nível de interesse para resolver problemas”, explica Gabel.

Crie um ambiente seguro

A chamada síndrome da morte súbita infantil, caracterizada pela morte do bebê durante o sono sem razão aparente, é preocupação de pais e mães. Embora os reais motivos desse problema ainda não tenham sido identificados, existem indícios de que colchões extremamente macios, travesseiros e até cobertores elevem os riscos de algo acontecer.

De acordo com a ONG Criança Segura Brasil, atentar para a posição do bebê no berço, que deve dormir de barriga para cima, em colchões firmes, são algumas medidas que ajudam a evitar esse problema.

“Os berços devem apresentar grades com distâncias que variam de 4,5 a 6 cm entre si. Já os colchões devem ser rígidos, sendo indicado o de 120 mm, e os protetores, de espessura fina,  devem ser fixados por velcro ou com laços de, no máximo, 15 cm de comprimeto”, alerta Andressa.

Procure manter longe de janelas o berço e outros móveis em que a criança possa subir; caso haja cortinas ou persianas no quarto, atente-se para não deixar cordas ou cordões ao alcance dos pequenos.

Monte o look da soneca

Para evitar riscos de sufocamento, o indicado é que o bebê não seja coberto. Portanto, a peça ideal é o macacão com pés; assim todas as partes do corpo ficam protegidas do frio. “Para a hora de dormir, são aconselháveis peças de algodão, sem muitas costuras e babados, para que sejam confortáveis.

Outro detalhe é investir em modelos com botões, assim o peito fica protegido na hora da troca de fralda”, diz a baby planner. O mesmo material também é recomendado para o lençol de baixo – lembrando que mantas, edredons, cobertores e travesseiros são dispensáveis, pelo menos no primeiro ano de vida. Em resumo: ter menos apetrechos no berço representa mais segurança para o bebê.

Todas as peças que ficam em contato direto com a criança merecem atenção redobrada no momento da lavagem. “As máquinas de lavar são mais eficazes do que a lavagem à mão, pois são capazes de eliminar completamente todos os resíduos do sabão”, explica Andressa Isola. Escolher produtos especiais para a pele delicada do bebê também é essencial. Por isso, invista no novo OMO Puro Cuidado Líquido – dermatologicamente testado, o produto respeita e não agride a pele delicada do pequeno.

Faça um ritual noturno

Com o tempo, mães e pais acabam descobrindo o método ideal para fazer o bebê cair no sono. Enquanto essa noite não chega, a dica é experimentar: vale tentar um banho morno, uma canção de ninar, uma história. De acordo com o pediatra José Gabel, essas atividades mais calmas devem ser iniciadas cerca de 30 minutos antes da hora de dormir – e é importante repeti-las todos os dias, seguindo a mesma ordem e sempre no mesmo horário.

“O Leo tem 10 meses e dorme bem desde os 4. Claro que tem dias em que ele está mais agitado. Então, nessas ocasiões, apostamos em um banho e em luzes mais baixas. Caso não funcione, a melhor saída é dançar com ele preso no sling. Infalível!”, recomenda a jornalista Nathalia Pipa, 28 anos.

Objeto que passe segurança

Ao completar 4 ou 5 meses, o bebê começa a entender que não faz mais parte da mãe. Por isso, é recomendado o uso de objetos que passam segurança para a criança e que ajudam a acalmá-lo durante o período de sono, popularmente chamados de “naninha”. “É o chamado objeto transicional, pois o bebê transfere o sentimento de segurança que vem dos pais para esse mascote.

É algo importante para o seu desenvolvimento emocional”, defende o especialista da Sociedade de Pediatria de São Paulo. Lembre-se que o objeto deve ser macio e não oferecer nenhum tipo de risco. Depois que o pequeno pegar no sono, retire a naninha do berço para sua total segurança e tranquilidade.

Produzido por Estúdio Globo

Esse artigo foi útil?